• hodlthebook

Coinbase: a exchange mais popular

Atualizado: 17 de Mar de 2020

A Coinbase é uma das exchanges mais conhecidas no mercado das criptomoedas. Mas será que é a melhor para as adquirir?


A Coinbase é uma das exchanges mais conhecidas do mundo. É o maior operador de Bitcoin no mundo e em 2020, tornou as criptomoedas acessíveis em mais de 100 países. Pessoalmente, considero que é a maior porta de entrada para a maioria das pessoas no mercado das criptomoeda. É uma exchange bastante intuitiva e de fácil utilização, com design e layout extremamente atuais e práticos e com algumas vantagens para os seus utilizadores, como a possibilidade de adquirir criptomoedas através de transferência bancária ou com cartão de crédito. Claro que à primeira vista, podemos assumir a aquisição de criptomoedas através do cartão de crédito como uma vantagem, apenas por incentivar e facilitar a aquisição de forma imediata, permitindo velocidade no ato da compra. Porém, não é aconselhável devido a:


  • Taxas elevadas,

  • Exposição de dados bancários

  • Dificuldade de controlo de despesas e custos


Hoje em dia, as exchanges apresentam-se como plataformas multifacetadas, onde a categoria de casa de câmbio é apenas uma das suas facetas. Neste caso concreto, para além de ser uma exchange, é também uma plataforma de aprendizagem, onde é possível adquirir conhecimento e criptomoedas através do separador Coinbase Earn. É interessante como os negócios evoluem e passam a apresentar pequenas soluções didáticas que incentivam a comunidade e a sua própria atividade. #coinbase


"A Coinbase é uma exchange bastante intuitiva e de fácil utilização"

A Coinbase apresenta um portfólio de criptomoedas interessante. É possível comprar algumas das principais criptomoedas do mercado, como Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH), Litecoin (LTC), Tezos (XTZ) ou Chainlink (LINK) e normalmente, apesar deste paradigma estar a mudar, sempre que uma nova criptomoeda passa a estar disponível na Coinbase, observa-se um aumento bastante relevante do preço, causado pelo fervor do momento, resultando num hype pontual e acentuado. No entanto, independentemente disso, existe muita liquidez nesta exchange e é considerada bastante segura.


"É possível comprar criptomoedas através de transferência bancária ou com cartão de crédito"

Existe uma aplicação da Coinbase para Android e iOS. Por vezes, a utilização de uma app mobile permite-lhe agir de forma mais rápida e aproveitar melhor as oscilações de preço no mercado e, tal como acontece com outras exchanges, corretoras ou brokers, poderá ver aqui uma oportunidade em prol da sua comodidade. No entanto, para aproveitar ao máximo o potencial da Coinbase em trading, deve optar por utilizar o serviço da Coinbase Pro, uma vez que as taxas são mais baixas. E são consideravelmente mais baixas. Se por um lado tem taxas que variam entre 1,49 e 3,99% na exchange principal, na opção profissional, tem taxas que variam entre 0 e 0,25%. Parece-me um negócio mais interessante! Porém, convém ter em atenção que a plataforma da Coinbase Pro é mais profissional e menos user friendly, obrigando a maior conhecimento relativamente a este tipo de processos. Mas é possível para todos e como tal, é apenas uma questão de persistência ou de procurar aconselhamento especializado. #exchange


Como começar a comprar criptomoedas na Coinbase?


Para adquirir criptomoedas nesta exchange, basta seguir os seguintes passos:

1. Aceder ao website da exchange

2. Registar o seu nome e o seu e-mail

3. Verificar o seu e-mail

4. Adicionar o contacto telefónico

5. Confirmar o código enviado

6. Inserir os seus dados e um documento de identificação

7. Definir a autenticação de dois fatores (2FA)

8. Optar por transferência bancária ou cartão de crédito

9. Confirmar os dados bancários

10. Adquirir as suas criptomoedas


1. Aceder ao website


O primeiro passo é aceder a qualquer exchange será sempre o acesso ao website. No caso da Coinbase, basta clicar aqui e será redirecionado para o website e ainda ganhará 9€ em Bitcoin, por se registar através do meu referral link. Vamos ambos ganhar 9€ e é uma forma de acumularmos criptomoedas gratuitamente, por recomendarmos esta exchange aos nossos amigos.


2. Registar o seu nome e o seu e-mail


O registo do seu nome e do seu e-mail é muito simples e não se assemelha a nenhum processo científico. Basta colocar o seu nome, apelido e e-mail e criar uma password ou palavra-passe para aceder futuramente à sua conta. Deve optar por algo que seja difícil de decifrar e cumprir alguns critérios, como um mínimo de 8 caracteres alfanuméricos, com letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. O objetivo é que se proteja contra potenciais hackers ou ataques à sua conta.


2. Registo de nome e e-mail

3. Verificar o seu e-mail


A verificação do seu e-mail é extremamente importante. É a forma que a exchange tem de confirmar que você é realmente a pessoa que se está a registar e tem acesso ao e-mail que inseriu no início do processo. Se assim não fosse, qualquer pessoal mal-intencionada poderia colocar o e-mail de qualquer um e continuar o processo. Desta forma, existe um critério de segurança que passa pela confirmação de acesso ao link enviado por e-mail. Assim que o fizer, pode continuar o resto do processo.


3. Verificação de e-mail

4. Adicionar o contacto telefónico


O seu smartphone é uma ferramenta muito importante no processo de registo e criação de qualquer conta numa exchange. É aquilo que lhe permite confirmar a sua presença física juntamente a um dispositivo e serve como outra fonte de informação que auxilia à veracidade de todo o processo. Desta forma, o seu contato telefónico é essencial para que possa avançar e conseguir proteger a sua conta futuramente.


4. Contato telefónico

5. Confirmar o código enviado


Tendo em conta que já registou o seu contato telefónico, já se encontra em posição de receber uma SMS ou uma mensagem escrita com um código de acesso à sua conta. É um código de confirmação. Basta inserir este código no campo pretendido para poder passar ao passo seguinte.


5. Confirmação do código enviado pela Coinbase

6. Inserir os seus dados pessoais e um documento de identificação


O processo que se segue é conhecido como um conjunto de procedimentos denominado de KYC (Know Your Costumer). Basicamente, todas as exchanges que pretendem operar com criptomoedas e incluam também a possibilidade de existência de transações bancárias, são obrigadas por lei a conhecer os seus clientes. Não é um processo facultativo e não existe nenhuma forma de ultrapassar esta barreira burocrática. É um dos problemas das entidades centralizadas. #kyc

6. Colocação dos dados pessoais

Como tal, nesta fase vai inserir os seus dados pessoais como nome (completo), morada fiscal, objetivo em criar uma conta, origem do seu capital e a sua profissão e entidade empregadora. Os critérios podem variar de exchange para exchange, uma vez que existem requisitos obrigatórios e facultativos, em função do nível de possibilidades ao qual pretende ter acesso. No caso da Coinbase, como pode observar nas imagens, os critérios são esses. No entanto, tanto no Kraken como na Binance já lhe podem pedir dados adicionais, no sentido de lhe dar acesso a operações e transações de valor mais elevado. Dependerá sempre do seu objetivo, da sua vontade e do seu capital. Mais tarde, irão pedir-lhe um documento de identificação. Normalmente, o documento de identificação mais utilizado é o cartão de cidadão porque conter dados pessoais e fiscais. No entanto, existe a possibilidade de fazer upload do passaporte ou da carta de condução. Deve ter em atenção que a qualidade do ficheiro é muito importante, uma vez que todos os dados devem estar perfeitamente visíveis e legíveis.

6. Inserição de documento de identificação

Caso se trate de uma fotografia, deve considerar alguns aspetos que podem melhorar a qualidade da imagem, como a câmara que utiliza, a luz natural, os reflexos do plástico do documento que podem influenciar negativamente e a distância ao objeto, ou seja, a aproximação ao objeto e o zoom. Se conseguir uma imagem com qualidade e em que os dados estejam perfeitamente legíveis, pode fazer o upload. Caso não esteja bem e sinta que consegue melhorar, opte por fazê-lo, uma vez que será vantajoso para si e acelerará a validação dos seus dados e a continuidade do processo. Por vezes, as exchanges podem inclusive pedir-lhe que tire uma selfie ou uma fotografia do seu rosto com uma determinada frase num papel para confirmar que a pessoa que está no documento de identificação é a mesma pessoa que está na fotografia. O objetivo é confirmar que concluiu todo o processo, apenas com o intuito de se registar na respetiva exchange.


7. Definir a autenticação de dois fatores (2FA)


A autenticação de dois fatores é um processo cada vez mais utilizado nas mais diversas aplicações e plataformas, principalmente quando estão relacionadas com investimentos, ativos mobiliários ou processos bancários. No caso das exchanges de criptomoedas, o processo mais utilizado é a autenticação de dois fatores ou 2FA (Two Factor Authentication). No fundo, trata-se de uma camada adicional de proteção, cada vez utilizado em qualquer tipo de conta online. É muito simples de utilizar e basta fazer o download de uma app que desenvolva a 2FA e inserir a sua conta. Existem várias apps mas as mais conhecidas são a Authy e o Google Authenticator. É gerado um código aleatório de 30 em 30 segundos e basta colocá-lo dentro dessa janela temporal para que seja aprovado.



8. Optar por transferência bancária ou cartão de crédito


Quando chegar o momento de adicionar dinheiro à sua conta, pode optar entre transferência bancária ou cartão de crédito. Aconselho vivamente que opte por transferência bancária porque as taxas cobradas pela utilização do cartão de crédito são bastante elevadas e isso deve-se às comissões de intermediação necessárias para pagar a todos os intervenientes no processo: exchange, banco e operadora do cartão de crédito, sendo habitualmente a VISA ou a MasterCard. Existe uma possibilidade extra de utilizar PayPal quando se tratar de retirar os seus fundos, mas só possível na Coinbase.


8. Método de pagamento

9. Confirmar os dados bancários


Este é um dos momentos mais importantes. Deve estar com os seus níveis de contração no máximo para não se enganar e não falhar nenhum ponto. Se optar por seguir o meu conselho e fizer uma transferência bancária para poder poupar nas taxas, os dados bancários da exchange vão passar a estar visíveis no ecrã. Deve copiar integralmente o IBAN e o nome do destinatário, mas acima de tudo, deve copiar o código da sua conta ou número de referência. Este número é extremamente importante porque é aquilo que vai ajudar a exchange a garantir que a transferência é sua e que deve colocar o dinheiro na sua conta. As exchanges recebem milhares de transferências e como tal, este código ou número de referência permite acelerar e garantir o sucesso da transação.

Em Portugal, no caso particular da Coinbase, têm existido alguns problemas relativamente à aquisição de criptomoedas. Não nos podemos esquecer de que as criptomoedas podem vir a representar uma ameaça cada vez maior para os bancos centrais e comerciais. Existem outros casos espalhados pelo mundo referentes a esta e a outras exchanges e isso deve-se à natureza do destinatário da transferência bancária que se pretende efetuar, uma vez que o propósito é a aquisição de criptomoedas é precisamente o que retira dinheiro do sistema bancário tradicional, podendo afetar os círculos de poder bancários e governamentais. Convém realçar que este procedimento não é legal e que tem o direito de transferir o seu dinheiro para onde quiser. No entanto, convém ter a consciência de que quando aceita os termos e condições gerais (TCGs) da sua conta, está a aceitar o serviço que o banco lhe propõe e como tal, como cliente, poderá ter algumas limitações. Deste modo, deve ter em atenção que a sua transferência pode ser bloqueada e não conseguir transferir o seu dinheiro. Como tal, terá de procurar outras alternativas e/ou outras exchanges como o Kraken (dinheiro governamental para criptomoedas e vice-versa) ou a Binance (criptomoedas).


9. Dados bancários para transferência

10. Adquirir as suas criptomoedas

O momento mais divertido! O processo é longo, mas recompensador. Basta escolher a criptomoeda que pretende adquirir e decidir o valor em criptomoeda ou em dinheiro fiduciário. Habitualmente, as pessoas têm mais facilidade em comprar criptomoedas baseadas no preço e na quantidade de euros ou dólares americanos que representam uma determinada quantidade de criptomoedas. É mais fácil de criar uma relação entre o dinheiro que têm na conta bancária e em criptomoedas porque conseguem definir o seu perfil de risco e a sua exposição ao mercado.


10. Adquirir criptomoedas

Convencido(a)? Registe-se na Coinbase e adquira as suas criptomoedas.


Para concluir, espero que esta informação lhe tenha sido útil. A Coinbase é uma boa opção para quem está a começar e também para quem consegue transferir sem problemas. Existem outras opções e deve obviamente explorá-las. O mais importante é adquirir as suas criptomoedas, seja de que maneira for. Depois disso, deve armazená-las numa wallet pessoal. Não deixe as suas criptomoedas numa exchange! Mas isto é um tema para outro momento. Encontramo-nos no próximo post!

79 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo